Voltar

Sintonia com o mercado levou à arrecadação histórica em leilão

Míriam Leitão - O Globo

27.09.2017

Os especialistas esperavam que o leilão de blocos do pós-sal geraria cerca de R$ 1 bi em bônus para a União. O resultado final, no entanto, foi quase quatro vezes maior. A arrecadação somou R$ 3,8 bi, um recorde histórico para o pós-sal. O leilão de hoje foi o primeiro grande teste após as mudanças implantadas no setor de energia, como a menor exigência de conteúdo local, o novo marco do pré-sal e a intenção de privatizar a Eletrobras. A rodada anterior havia sido em 2015.

— O resultado comprova que o compromisso com a liberdade de mercado é premiada. O novo governo mudou as regras e melhorou a sintonia com o capital privado. Os preços foram melhores que o esperado e grandes operadoras internacionais voltaram a se interessar por investimentos no Brasil — conta Adriano Pires, da consultoria CBIC. Ele lembra que, pela manhã, o leilão das quatro usinas hidrelétricas também surpreendeu, ao levantar R$ 12,1 bi, ou R$ 1 bi a mais que o estimado.

O consórcio entre a Petrobras e a ExxonMobil, a maior petroleira do mundo, foi responsável por R$ 3,5 bi dos R$ 3,8 bi arrecadados hoje. Mas o interesse foi pulverizado. Esta rodada teve 17 empresas vencedoras, sendo sete estrangeiras. A maioria dos blocos, é verdade, não despertou interesse. Dos 287 ativos na prateleira, apenas 37 foram de fato negociados. Mas a baixa adesão em alguns lotes era esperada.