Voltar

Para a economia, o impacto da liberação do FGTS será sempre positivo

Míriam Leitão - Rádio CBN

13.03.2017

Caberá a cada trabalhador decidir o melhor destino para o dinheiro das contas inativas do fundo de garantia. Os perfis são diferentes, as histórias também. Para alguns, será melhor quitar dívidas; outros vão preferir consumir ou mesmo aplicar. O certo é que o impacto será positivo na economia. Os recursos, que pertencem aos trabalhadores, trarão alívio às famílias após dois anos de recessão, com queda na renda das famílias e aumento do desemprego. Não há uma regra geral sobre o que fazer com o dinheiro. Os jornais têm feito o papel de informar, dar espaço para especialistas que apresentam as diferentes formas de usar o saldo. E o brasileiro também tem muita sabedoria econômica, embora não reconheça isso. A população enfrentou décadas de hiperinflação, com períodos de recessão e sempre tomou decisões sensatas.

O recurso das contas inativas é bem-vindo, seja pela perspectiva dos trabalhadores ou para o conjunto da economia. Não é esse dinheiro que vai tirar o país da recessão, mas ele vai ajudar. O impacto será sempre positivo qualquer que seja a decisão tomada pelo trabalhador porque o dinheiro vai irrigar a economia depois desse longo período de recessão, com desemprego, queda da renda e alta da inflação.

Hoje, muitas famílias estão endividadas. Como o crédito no Brasil é muito caro, pagar as dívidas pode ser uma boa opção. Normalmente, as aplicações disponíveis dão retorno menor que o custo dos empréstimos.

É natural que uma parte dos recursos vá para o consumo. O comércio vai disputar uma fatia desse dinheiro. A melhor forma dos lojistas aproveitarem o momento é fazendo promoções.

Alguns trabalhadores vão preferir aplicar. Dependendo da situação, essa também será uma decisão acertada. Qualquer investimento dará um retorno maior que o do FGTS.