O Brasil ganhou o mundo na Copa

19/07/2014 por: Assessoria de Comunicação

Foto: Marcelo Calil

Foto: Marcelo Calil

?A Seleção não venceu dentro das quatro linhas, mas houve vitória sobre vitória fora dos campos nesta Copa do Mundo. O nosso país demonstrou de forma definitiva que sabe organizar um evento de proporções mundiais. Nos aeroportos, hotéis, restaurantes, festas, em belos estádios e nas ruas acolhedoras de nosso país foram forjadas belas imagens de alegria sincera e contagiante de nosso povo. Tudo emoldurado por sequências de belezas naturais exuberantes.

A grande manifestação registrada por toda a imprensa mundial foi o calor na acolhida educada e generosa oferecida pelos brasileiros aos turistas de várias partes do mundo. Bons exemplos se sucederam: informações foram afixadas em inglês pelo ambulante para orientar os viajantes a chegar aos estádios; aparelhos celulares viabilizaram traduções em táxis; mímicas solucionaram dúvidas e incertezas para descobrir um restaurante ou hotel. E nosso povo sorriu e brincou, alegrou e dançou com os mais desinibidos ou quebrou o gelo dos mais tímidos e retraídos. Mais de um milhão de visitantes vieram de cerca 200 países.

?Foi grande a celebração. O planejamento de segurança garantiu esse clima de alto astral para todos, brasileiros e estrangeiros. As delegações de jogadores transitaram entre as 12 sedes sem registro de ocorrências. Só o carinho dos fãs ultrapassou os limites do permitido. Nossas Forças Armadas e as polícias Federal, Militar e Civil deram apoio fundamental. O total de homens mobilizados foi de 177 mil. O investimento federal foi de mais de R$ 1 bilhão nesta área, com integração incentivadora de outras ações para o futuro, com objetivo claro de melhorar a sensação de segurança do nosso cidadão em seu cotidiano pós-Copa.

?Os torcedores foram a estádios que funcionaram muito bem: iluminação, gramado, acesso, sonorização e telefonia. Foram muitos “selfies” postados em redes sociais. Mais de quatro milhões de ligações efetuadas nos locais de jogos. As arenas, prontas e confortáveis, receberam quase 3,5 milhões de torcedores. E ficavam lotadas porque os acessos por trens, metrô, veículos leves em linhas exclusivas e ônibus foram eficientes. Registrou-se aqui a segunda maior média de público nas arenas da história das copas, com 53,5 mil pessoas (98,4% da ocupação), número superado apenas pelos Estados Unidos em 1994.

?Nos aeroportos, nada de atrasos ou problemas de cancelamento. Note-se, foram 90 mil voos no período, com recordes de operação em relação a competições anteriores no aeroporto do Galeão no dia do encerramento. Não houve caos. Pelo contrário. Houve planejamento e elogio às reformas que estavam prontas para a Copa e que continuarão a beneficiar os brasileiros. Segundo informações do ministro da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco, foram aplicados R$ 11,3 bilhões nos aeroportos, dinheiro investido em benefício permanente para o nosso país, para os brasileiros.

?Os estrangeiros reconheceram o grande esforço nacional. Se o governo criou as condições para a Copa das Copas, o povo criou o clima. O contingente de voluntários oficiais chegou a 14 mil, mas foram 200 milhões envolvidos diretamente pela paixão ao futebol. Por isso, o Datafolha constatou que 83% dos turistas classificaram a organização de boa ou ótima. E 92% ressaltaram o conforto dos estádios. O transporte aéreo foi aprovadíssimo por 76%. No quesito segurança, 82% sentiram-se perfeitamente resguardados nas cidades brasileiras.

?Devemos abandonar o complexo de inferioridade que nos acometeu nos dias anteriores ao campeonato mundial. Os brasileiros souberam perder dentro de campo, com espírito esportivo. Foram bem humorados, cordiais, honestos, simpáticos e receptivos com turistas de todos os países. O governo federal foi competente na gestão e no planejamento. Deu conta desta grande celebração no país do futebol. Devemos ficar felizes com os resultados para o nosso país. Até porque 92% de nossos visitantes querem retornar para aproveitar ainda nossos encantos naturais, o que significa mais dividendos e riquezas para o setor de turismo. Podemos dizer de peito aberto: o Brasil ganhou o mundo na Copa de 2014.